|

Formulário de Busca

Livros acessíveis

Gráfica e editorial

Anualmente são produzidas milhares de páginas em braille de livros didático-pedagógicos, paradidáticos, literários e obras específicas solicitadas pelos deficientes visuais. Ao produzir e distribuir livros em braille, a Fundação proporciona condições de acesso à independência pessoal, formação educacional, cultural, profissional e atividades de lazer.

Somos a imprensa braille com a maior capacidade de produção da América Latina e uma das referências mundiais em qualidade e complexidade de produção. Há quem diga que nas últimas seis décadas não existe no Brasil uma só pessoa cega alfabetizada que não tenha tido em suas mãos pelo menos um livro braille, produzido pela Fundação Dorina Nowill para Cegos.

O Centro de Transcrição Braille da Fundação Dorina Nowill para Cegos realiza um importante serviço: a produção de obras de qualquer gênero no sistema braille, para atender, individual e gratuitamente, as necessidades de material para estudo, pesquisa ou trabalho da pessoa com deficiência visual.

O sistema braille

É um sistema de leitura e escrita destinado a pessoas cegas por meio do tato. Sua escrita é baseada na combinação de 6 pontos, dispostos em duas colunas de 3 pontos, que permite a formação de 63 caracteres diferentes, que representam as letras, números, simbologia aritmética, fonética, musicográfica e informática.

O sistema braille se adapta à leitura tátil, pois os pontos em relevos devem obedecer amedidas padrão, e a dimensão da cela braille deve corresponder à unidade de percepção da ponta dos dedos.

Sobre Louis Braille

Natural de Coupvray, pequena aldeia a leste de Paris, Louis Braille nasceu em 4 de janeiro de 1809. Ficou cego em 1812, aos três anos, após se acidentar na oficina do pai. Ao tentar perfurar um pedaço de couro com uma sovela, aproximou-a do rosto e acabou ferindo seu olho esquerdo. A infecção se expandiu e atingiu o outro olho, deixando-o completamente cego.

Para desenvolver um sistema de leitura e escrita para pessoas cegas, ele usou como base o sistema de Barbier, utilizado para a comunicação noturna entre os soldados do exército francês.

Em 1825 o jovem francês Louis Braille apresentou a primeira versão do seu sistema de escrita e leitura em relevo para a pessoa cega. Em 1837, Braille apresentou a versão final do sistema que, embora tenha levado algumas décadas para ser aceito na França, antes do final do século XIX já havia se difundido pela Europa e por outras partes do mundo.

Livros braille: prestação de serviços

A Fundação Dorina Nowill para Cegos possui uma das maiores imprensas braille do mundo em capacidade produtiva, sendo referência mundial em qualidade.

  • Adapta e transcreve impressos para o braille: livros infantis, didáticos e literários; cardápios; manuais, catálogos e relatórios; placas de identificação em policarbonato; plantas táteis; cartões de visita; folhetos; jogos acessíveis; extratos bancários; contas de consumo; boletos e faturas etc.
  • Assessoria técnica em produção braille
  • Consultoria para adequação de textos e imagens acessíveis
  • Projetos especiais.

Orçamento sem compromisso

Solicite orçamento sem compromisso pelo telefone (11) 5087-0984 ou através do e-mail comercial@fundacaodorina.org.br

Conheça

O livro digital acessível no formato Daisy é uma solução fundamental para ampliar o acesso à informação, ao conhecimento e à cultura por parte daqueles que apresentam algum tipo de limitação à leitura, como idosos, disléxicos e pessoas com deficiência.

Disponibilizado em CD, permite à pessoa cega ou com visão subnormal acesso à literatura destinada ao estudo e à pesquisa de forma rápida e estruturada. O leitor pode visualizar o conteúdo do texto em vários níveis de ampliação e ouvir simultaneamente em voz sintetizada. O livro Daisy é editado com notas de rodapé opcionais, marcadores de texto, soletração, leitura integral de abreviaturas e de sinais, além da pronúncia correta de palavras estrangeiras. A Fundação Dorina disponibiliza gratuitamente livros nesse formato para as pessoas com deficiência visual em todo o Brasil. Conheça os títulos disponíveisSite externo..

Pioneira no desenvolvimento de livros digitais em língua portuguesa, a Fundação DorinaNowill para Cegos possui um moderno processo de produção de livros acessíveis no formato Daisy. Além de aperfeiçoar o sistema de produção remota e compartilhada de livros digitais acessíveis, a Fundação, por meio de uma parceria com o Ministério da Cultura, está capacitando outras instituições a produzir livros nesse formato, aumentando assim a oferta de obras digitais aos deficientes visuais.

O formato Daisy, adotado recentemente também pelo Ministério da Educação como um dos formatos de livros do Plano Nacional do Livro Didático, é reconhecido internacionalmente como o que há de mais moderno em acessibilidade de leitura.

Dorina Daisy Reader

O Dorina Daisy Reader - DDReader é um aplicativo aberto e gratuito para a leitura de livros digitais no formato Daisy. Foi desenvolvido pela Fundação Dorina Nowill para Cegos para integração total com os arquivos nesse formato, produzidos em qualquer parte do mundo. Possui versões em português, inglês e espanhol.

Principais recursos do DDReader:

  • Tutorial incorporado ao aplicativo
  • Acesso a todos os comandos pelo teclado
  • Eco de comandos em voz sintetizada
  • Marcadores e anotações de usuário
  • Busca por palavras e expressões
  • Histórico de leitura de livros
  • Soletração de palavras do texto
  • Pronúncia correta de palavras em línguas estrangeiras
  • Pronúncia expandida das abreviaturas no texto
  • Ampliação do texto na tela
  • Notas de rodapé adicionais
  • Ajuste de preferências globais e por livro

A ferramenta é gratuita. Baixe a nova versão do DDReader + aqui.

Para usá-la, clique duas vezes no arquivo baixado e depois tecle enter para iniciar a instalação. Siga as instruções do Instalador.

Baixe aqui o livro “A mão e a Luva”, de Machado de Assis.

Prestação de serviços

O formato Daisy é reconhecido internacionalmente como o que há de mais moderno em acessibilidade de leitura. Este formato permite ao usuário visualizar o conteúdo do texto em vários níveis de ampliação e ouvir a gravação em voz sintetizada de forma simultânea.

Possui mecanismos de busca por palavras, soletração, leitura integral de abreviaturas e siglas, além de emitir a pronúncia correta de palavras estrangeiras.

O formato é ideal para transformar o conteúdo de catálogos, livros, manuais, relatórios, listas, índices telefônicos, guias, bulários, entre outros materiais, acessíveis às pessoas com deficiência visual.

Orçamento sem compromisso

Solicite orçamento sem compromisso pelo telefone (11) 5087-0984 ou através do e-mail comercial@fundacaodorina.org.br

Livro falado

A Fundação Dorina Nowill para Cegos produz, em seus dois estúdios, livros e revistas em áudio no formato MP3, com o objetivo de oferecer às pessoas com deficiência visual mais uma opção de acesso à informação atualizada, além de livros recém-lançados.

A leitura é, para a pessoa cega ou para qualquer outro indivíduo, o veículo fundamental de desenvolvimento da comunicação. Não se restringe apenas à satisfação da necessidade de ler por prazer ou para obtenção de informação genérica, mas representa fator decisivo para a formação e desenvolvimento educacional, cultural, técnico e científico.

Prestação de serviços

O formato falado é uma ótima forma de acessibilidade para materiais de comunicação. Apresenta baixo custo, portabilidade, facilidade de manuseio e aplicações em mídias diferentes, como sites, CDs e pendrives. O conteúdo também pode ser gravado em voz humana ou sintetizada.

São transformados em áudio: livros, revistas, folhetos, relatórios, bulas de medicamentos, guias culturais, informativos comerciais e institucionais, murais etc.

Orçamento sem compromisso

Solicite orçamento sem compromisso pelo telefone (11) 5087-0984 ou através do e-mail comercial@fundacaodorina.org.br

Biblioteca: o que é?

A Biblioteca Circulante de Livro Falado tem como objetivo efetuar empréstimo de livros falados, gratuitamente, a todas as pessoas com deficiência visual residente no Brasil.

Para atender a necessidades e interesses educacionais e culturais das pessoas com deficiência visual, a Biblioteca Circulante oferece um acervo variado de títulos em áudio, entre clássicos da literatura nacional e estrangeira, obras de leitura obrigatória para vestibulares e os mais recentes "best-sellers".

Conta com um acervo de mais de 1.600 títulos falados, disponível para empréstimo aos deficientes visuais de todo o País.

Biblioteca: como funciona?

O serviço de empréstimos é feito mediante cadastro, com preenchimento de ficha de inscrição específica. No ato da inscrição o leitor recebe o catálogo de obras disponíveis para empréstimo,devendo selecionar de 15 a 20 títulos de seu interesse. Essa relação de títulos deve ser entregue juntamente com a ficha preenchida e ficará registrada no prontuário do leitor, devendo ser renovada quando a maioria das obras listadas já tiver sido recebida. A inscrição só será efetivada quando a 1ª lista de solicitações for entregue.

Biblioteca: regulamento

  • Prazos: O leitor tem o direito de retirar 3 obras por vez, podendo permanecer com elas por 60 dias. Eventuais prorrogações deverão ser feitas por telefone ou e-mail e estarão sujeitas a análise antes da aprovação.
  • Remessas: As remessas de livros são feitas automaticamente, com base na lista de pedidos do cliente, sempre que a biblioteca receber a devolução da(s) obra(s) emprestada(s). Quando a lista contiver poucas obras, o leitor será notificado e receberá um catálogo atualizado para seleção de novos títulos. Clientes sem lista de pedido ou com obras em atraso não receberão nova remessa.
  • O catálogo enviado deve ser devolvido à Biblioteca após a seleção de títulos. O leitor poderá solicitar novo catálogo atualizado para consulta sempre que necessário.
  • O leitor pode escolher, alterar ou substituir, a qualquer tempo, sua lista de solicitações, por escrito, respeitando o limite de pedidos de 20 títulos.
  • Circulação: Os empréstimos são efetuados pessoalmente ou por correio. Os leitores que optarem por fazer empréstimos e devoluções pessoalmente, devem fazê-lo diretamente com os funcionários da Biblioteca, respeitando os horários de atendimento. No caso da utilização do correio, os livros devem ser devidamente embalados em envelope ou papel resistente e enviados para: Fundação Dorina Nowill para Cegos - Biblioteca - Rua Dr. Diogo de Faria, 558 - São Paulo - SP - CEP04037-001. As remessas de livros podem ser feitas gratuitamente com o uso do cecograma.
  • O leitor pode pedir a suspensão temporária ou o cancelamento do atendimento, a qualquer momento. As listas de pedidos serão mantidas durante 60 dias; após esse período, se não houver reativação pelo leitor, elas serão automaticamente canceladas.
  • Penalidades: O leitor é diretamente responsável pela obra emprestada. No caso de perda ou dano por má-utilização, o leitor ficará obrigado a enviar 2 CDs virgens por título extraviado ou danificado. Os empréstimos ficarão suspensos até que a situação seja regularizada.
  • Leitores cancelados podem reativar seu cadastro enviando, a qualquer momento, nova lista de pedidos.
  • É proibido emprestar ou transferir a outra pessoa, mesmo que usuária, as obras recebidas.
  • A Biblioteca conta com a colaboração do leitor na manutenção do acervo. Na devolução, qualquer problema apresentado durante a utilização das obras deve ser relatado, da forma mais detalhada possível, para que sejam providenciados os devidos reparos.

Biblioteca: cadastro

Para utilizar o serviço de empréstimos é preciso preencher ficha de cadastro específica.

A inscrição pode ser feita pessoalmente, pelo correio, por e-mail ou pelo site.

HORÁRIO DE ATENDIMENTO
Atendimento ao público: de 2ª a 6ª feira, das 8h às 17h.
E-mail: biblioteca@fundacaodorina.org.br
Telefones: (11)5087-0991 / 5087-0990

Biblioteca: envio

Os empréstimos são efetuados pessoalmente ou por correio. Os leitores que optarem por fazer empréstimos e devoluções pessoalmente, devem fazê-lo diretamente com os funcionários da Biblioteca, respeitando os horários de atendimento.

No caso da utilização do correio, os livros devem ser devidamente embalados em envelope ou papel resistente e enviados para: Fundação Dorina Nowill para Cegos - Biblioteca - Rua Dr. Diogo de Faria, 558 - São Paulo - SP - CEP04037-001. As remessas de livros podem ser feitas gratuitamente com o uso do cecograma.

O leitor é diretamente responsável pela obra emprestada. No caso de perda ou dano por má-utilização, o leitor ficará obrigado a enviar 2 CDs virgens por título extraviado ou danificado. Os empréstimos ficarão suspensos até que a situação seja regularizada.

Biblioteca: cecograma

O cecograma isenta a pessoa com deficiência visual das taxas de postagem de materiais com braille. Para utilizá-lo, basta colocar um dos selos abaixo no lugar dos selos tradicionais dos correios. O cecograma poderá ser enviado com registro ou com AR (aviso de recebimento), sem cobrança. Caso tenha qualquer dificuldade em enviar o material sem cobrança, solicite o telefone da agência e o nome de um responsável e entre em contato conosco pelos telefones (11) 5087-0990 ou 5087-0991.

Para mais informações sobre o cecograma consulte o link: http://www.correios.com.br/produtosaz/produto.cfm?id=BCFC5CCB-C04A-0C37-D3A0A6779535126DSite externo.

Modelo de utilização do cecograma no envelope ou pacote e alguns "selos" para cópia: Modelo cecograma

Biblioteca: depoimentos

A leitura dos informes contidos na revista Veja falada são de grande valia para nós deficientes. Coloca-nos a par de assuntos muito úteis. Agradeço por todo o trabalho que tem me ajudado tanto desde que a conheci a instituição.
Maria Thereza Luz de Macedo - Brasília/DF

A Fundação Dorina faz a alegria dos cegos com as informações que nos enviam. Só é alienado quem quer. Só tenho elogios a todos os ledores dos livros falados pois sem eles este grandioso trabalho não seria possível.
Paulo José da Glória - Rio de Janeiro/RJ

Tenho um grande apreço pela revista falada e aguardo sua chegada com ansiedade todas as quartas-feiras. Aprendo muito com os informes e me delicio com as matérias. É a revista Veja Falada que me atualiza toda semana. Sou muito grata ao trabalho bonito que a Fundação Dorina realiza.
Wilma Maria Laino - São Paulo/SP

Agradeço de coração aos ledores da revista Veja e de livros falados pelos grandes serviços prestados aos deficientes visuais.
Ângela Maria de Oliveira - Três Corações/MG

Obrigada por todos os serviços que me proporcionam. Por meio da revista Veja e do livro falados eu fico bem informada e atualizada para conversar sobre qualquer assunto. Peço a DEUS que os ilumine cada vez mais.
Lícia Maria dos Santos - Salvador/BA

Solicite livros gratuitamente

A Fundação Dorina realiza um importante serviço as pessoas com deficiência visual: a transcrição de obras de qualquer gênero para formatos acessíveis. O objetivo é atender individual e gratuitamente as necessidades de material para estudo, pesquisa ou trabalho de pessoas cegas e com baixa visão.

Contato: biblioteca@fundacaodorina.org.br (11) 5087-0991

Quem somos

Há mais de seis décadas a Fundação Dorina Nowill para Cegos tem se dedicado à inclusão das pessoas com deficiência visual, por meio do acesso à educação e a cultura. Oferece programas de clínica de visão subnormal, educação especial, reabilitação e empregabilidade, além de produzir e distribuir livros braille, falados e digitais acessíveis.

Fundação Dorina Nowill para Cegos

Rua Doutor Diogo de Faria, 558 • Vila Clementino • São Paulo/SP - Fone: (11) 5087-0999 / Fax: (11) 5087-0977

Canal de relacionamento com o doador - 0300-777-0101

Produzido por Espiral Interativa

  • XHTML 1.0 Strict Vlido
  • CSS Vlido!
  • Totalmente Valido WCAG 2.0
Faça sua doação