22 de janeiro de 2020

Conheça o Centro de Memória Dorina Nowill

Faça um tour e veja tudo o que um dos primeiros museus do país sobre a deficiência visual pode proporcionar

Foto de crianças visitando a Fundação. Eles estão de frente, andando por um corredor com paredes marrons. Ao lado esquerdo está um painel preto com textos e imagens da exposição. As crianças estão andando em duplas e perfiladas. Quem está à direita, está usando uma venda e segurando no ombro de quem está à esquerda, numa vivência de guiar pessoas com deficiência visual.

Máquinas braille, cartas, fotografias, bengalas de várias épocas, esculturas, prêmios… Sabe onde você encontra tudo isso e muito mais? No Centro de Memória Dorina Nowill, um dos primeiros museus do Brasil a considerar a cultura da deficiência visual como patrimônio histórico!

Esse espaço, que tem como missão apresentar a história da luta das pessoas cegas e com baixa visão no Brasil e no mundo, está localizado aqui na sede da Fundação Dorina Nowill para Cegos e você pode visita-lo gratuitamente, sabia?

Inclusive, você pode consultar boa parte do nosso acervo online, composto por fotos, objetos tiflológicos (utilizados para educação de cegos), reportagens e documentos produzidos por personalidades importantes na área da inclusão social. Basta acessar http://centrodememoria.fundacaodorina.org.br

Todo ano, mais de 1.500 pessoas de todas as idades participam de uma visita guiada ao nosso Centro de Memória: estudantes mirins e universitários, profissionais de outras instituições, grupos de passeio, parceiros da Fundação e todos aqueles que desejam conhecer sobre a entidade, sobre Dona Dorina ou sobre a deficiência visual.

Ficou com vontade de conhecer? Então veja o que te espera:

Memorial Dorina

Foto de dentro da sala Memorial Dorina. Sentadas no chão de pernas cruzadas, estão diversas crianças utilizando coletes amarelos. Duas delas estão sentadas nas cadeiras da sala Algumas aparecem de costas e outras de perfil à direita da imagem, mas todas olham em direção de Silvia, educadora do Centro de Memória, que também está sentada no chão, à esquerda da imagem.

Aqui começa o nosso tour pelo Centro de Memória! O primeiro local da visita é a réplica da sala na qual nossa fundadora, Dorina Nowill, trabalhou durante muitos anos. Ela é considerada a dama da inclusão por dedicar toda sua vida à causa das pessoas com deficiência visual.

Em sua sala, você vai encontrar os objetos originais do período que Dona Dorina trabalhou ativamente. E também alguns prêmios que recebeu, como uma pequena máquina braille alemã, que você poderá tocar e conhecer.

Exposição

Foto de uma jovem cega na exposição do Centro de Memória. Ela veste blusa de frio preta e calça jeans preta e está com o cabelo amarrado para trás. Ela está de frente, sorrindo, segurando uma bengala branca na mão esquerda e com a mão direita ela tateia uma máquina braille antiga. A máquina está sob uma prateleira azul, ondem contém diversos livros tinta braille e outros equipamentos históricos. Na parede ao lado esquerdo da imagem, estão painéis brancos com imagens e textos da exposição. Ao fundo, aparece mais prateleiras e painéis, além de uma janela de vidro transparecendo uma estante verde.

A próxima parada do nosso tour é a exposição de longa duração “E tudo começou assim: ações, projetos e histórias que mudaram a vida das pessoas com deficiência visual”, inaugurada em 2013.

Nesse espaço, você terá acesso a diversos painéis com informações em textos e imagens que contextualizam a história da deficiência visual no Brasil e a sua inclusão em diversas frentes como educação, mercado de trabalho, cotidiano etc.

Também terá contato com diversos objetos históricos que recontam a evolução do braille e dos recursos acessíveis, como o primeiro objeto utilizado para produção de livros na Fundação Dorina, além de realizar algumas vivências, participar de jogos e experimentar alguns objetos.

Áreas de produção

Foto de Ivo, operador da gráfica da Fundação, manuseando uma máquina de impressão em braille. Ele está no canto direito da imagem, vestindo uma camisa preta com o logotipo da Fundação. Ele está de perfil e sua mão direita está esticada até encostar em folhas de papel que estão apoiadas na máquina, que está à sua frente com uma grande pilha de papéis brancos.

Depois da exposição, chega a hora de ver como a mágica acontece. Nesse momento, você terá acesso às áreas que produzem tudo aquilo que a Fundação Dorina oferece: livros em braille, livros digitais acessíveis, livros falados e outros produtos que você poderá, inclusive, ter nas mãos.

O tour vai passar pelos editoriais, pelo estúdio de gravação Radiofônicos e ainda por uma das maiores gráficas braille do mundo em capacidade de produção e você observando todo o funcionamento ativamente. Não é o máximo?

Reabilitação

Foto de Tiago, uma das crianças atendidas pela Fundação Dorina, lendo um livro com a mãe Flávia. Eles estão numa sala com paredes e mesa brancas, sentados em cadeiras. Tiago usa óculos e blusa preta e está sorrindo, com headfone branco e vermelho na cabeça. Flávia também usa blusa preta e headfone na cabeça. Ambos estão lendo um livro que está apoiando sob a mesa, junto com outros ao redor. Atrás deles, está uma estante azul com diversos livros expostos.

O último percurso da visita acontece no coração da Fundação Dorina: a área de reabilitação. É nesse local que se realizam os atendimentos às pessoas com deficiência visual, de crianças a idosos.

Você sabia que esta foi uma das primeiras clínicas do país a trabalhar com reabilitação e com as demandas das pessoas cegas e com baixa visão? Nesse espaço, estão localizadas as salas de fisioterapia, de informática, de terapia ocupacional, dos cursos de qualificação e ainda um divertido parquinho acessível, utilizado pela criançada.

Gostou do nosso tour? Então, agora, venha fazê-lo pessoalmente! A visita monitorada acontece de segunda a sexta-feira, nos períodos manhã e tarde e dura entre uma a duas horas, dependendo da demanda ou disponibilidade dos interessados.

Para agendar um horário, basta entrar em contato pelo telefone (11) 5087-6955 ou pelo e-mail centrodememoria@fundacaodorina.org.br. Esperamos a sua visita!