Utilizamos cookies!

Olá! Nós utilizamos cookies para melhorar a experiência dos nossos usuários e usuárias ao navegar por nossos sites. Ao continuar utilizando nossos serviços online, entenderemos que você estará contente em nos ajudar a construir uma sociedade mais inclusiva e aceitará nossos cookies.

Para conferir como cuidamos de seus dados e sua privacidade, acesse nossa Política de Privacidade.

25 de setembro de 2019

Setembro Amarelo: dicas para manter sua saúde mental em dia

O Brasil é campeão de casos de depressão na América Latina, com cerca de 11,5 milhões de pessoas sofrendo com a doença.

Descrição da imagem: banner virtual com a silhueta de uma pessoa de braços abertos sobre fundo amarelo. Atrás dela há uma fila amarela que simboliza a campanha Setembro Amarelo. ao lado direito, a frase "Falar é a melhor solução".

É o equivalente a quase 6% da população, segundo dados da Organização Mundial da Saúde.

Esses são números que deixam o país num estado de alerta geral para casos de possíveis suicídios e, por isso, a campanha Setembro Amarelo acontece de forma intensa. É preciso chamar a atenção da sociedade para a importância de manter a saúde mental em dia, para cada vez mais diminuir essas estatísticas.

Mas, de que forma podemos cuidar da saúde mental, a fim de evitar a depressão? Em primeiro lugar, buscando apoio com quem entende do assunto. E, depois, buscando formas de manter uma mente saudável. Confira!

1) Centros de Apoio

Se você está em dúvidas sobre seu estado de saúde, já foi diagnosticado com a depressão por um especialista, ou se apenas quer conversar para aliviar a mente, esses centros gratuitos podem ajudar:

– Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), conveniados ao Sistema Único de Saúde (SUS), realiza atendimentos em diferentes modalidades. Para ser atendido, é preciso passar pela Unidade Básica de Saúde mais próxima da sua casa e, após avaliação do caso, eles encaminham ao CAPS. Acesse aqui e veja onde encontrar o mais próximo de você.

– Centro de Atendimento Psicológico (CAP) da Universidade de São Paulo (USP), oferece serviços clínicos e laboratoriais de diferentes especialidades. As vagas para triagem são abertas de acordo com a disponibilidade da clínica. Endereço: Avenida Professor Mello Moraes, 1721, Cidade Universitária.  Telefone: (11) 3091-8248/8223 – E-mail: clinica@usp.br.

– Centro de Valorização da Vida (CVV) é preparado para realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntariamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, 24 horas todos os dias. Conheça mais em www.cvv.org.br.

2) Organizações Sociais

Muitas organizações sociais oferecem atendimento psicológico gratuito e terapias comunitárias. São serviços de apoio que contribuem para identificar dificuldades e construir alternativas que resultem no fortalecimento das pessoas.

Aqui na Fundação Dorina, consideramos esse atendimento essencial no processo de reabilitação de nossos clientes que, após a perda da visão, enfrentam um processo de luto e precisam ser fortalecidos para trilharem a vida com uma nova condição.

Outro exemplo é o projeto Escuta na Grama, idealizado por psicólogos com o objetivo de levar a escuta e a importância do trato da saúde psíquica para a população. Trata-se de um plantão psicológico realizado todo último domingo do mês, atualmente no parque do Ibirapuera. Para saber a agenda dos encontros, acesse a página do projeto.

3) Apps para saúde mental

Você sabia que já existem aplicativos que ajudam a manter sua mente saudável? São exercícios de meditação, reflexões e até registros escritos como forma de aliviar a tensão mental. Aqui estão os mais populares:

– Cogni: uma opção para anotar sentimentos e variações de humor. Você pode entender seu padrão de comportamento, sabendo o que deixa feliz ou triste e aprendendo a trabalhar essas sensações.

– Zen ou Insight Timer: são ideais para meditação. São meditações guiadas específicas e conteúdos para cada momento e emoções.

– Querida Ansiedade: possui várias opções, desde exercícios e meditações até indicação de psicólogos para conversas online.

4) Métodos Alternativos

Ainda com base nos dados da OMS, até 2020 a depressão deve ser a doença mais incapacitante do planeta. Correndo contra essa realidade, estudiosos da área buscam diariamente métodos alternativos de tratamento e atividades que possam contribuir para o equilíbrio psicológico das pessoas.

Um desses novos métodos é o Mindfulness, um conjunto de técnicas práticas, possíveis e cientificamente comprovadas que ajudam a focar no momento presente, observando pensamentos sem julgamento e sem deixar o passado ou o futuro afetarem, tornando a mente mais desperta e saudável. A técnica – testada em pessoas com recorrência de depressão – trás os mesmos benefícios que o uso de medicamentos antidepressivos, com a vantagem de o paciente não sofrer efeitos colaterais e não ter custos.

Outra alternativa é a Psicologia Positiva, um movimento cientifico que estuda o bem-estar e formas de contribuir para a felicidade autêntica. Ao invés de ser o estudo das disfunções, que é o caso da psicologia tradicional, a positiva é um campo que examina como pessoas comuns podem se tornar mais felizes e satisfeitas. E existem muitas propostas de apoio à reversão do quadro de depressão por meio dessa linha, como fazer um “Diário de Gratidão” listando motivos para ser grato. A ideia é construir um modelo mental positivo que terá como consequência a mudança da realidade diante dos problemas.

São muitas opções, mas uma única certeza: não precisa esperar a doença acontecer para buscar ajuda profissional e nem para começar uma vida saudável. Manter-se saudável e fortalecido deve ser um objetivo diário, nessa sociedade que nos afeta bruscamente. Viver bem é, definitivamente, o melhor remédio para a plenitude.